Nos últimos anos, a discussão sobre o bullying ganhou destaque, com cada vez mais pessoas, incluindo especialistas no assunto e vítimas, falando sobre os perigos que ele pode provocar. E no último dia 19 do mês passado, ele foi fatal para mais uma pessoa, uma menina de apenas 11 anos.



Bethany Thompson já trazia na bagagem uma história incrível, havia vencido um câncer no cérebro com apenas 3 anos de idade. A única sequela da cirurgia que retirou o tumor foi deixar a boca da jovem repuxada levemente para a direita, o que foi suficiente para ela se tornar alvo de comentários maldosos de outras crianças na escola.
O que deveria ser uma marca orgulhosa de uma vitória contra um adversário cruel, se tornou motivo para que a garota se tornasse alvo de bullying, confirme a mãe, Wendy Feucht, relatou à revista americana Time:

Havia garotos na escola que eram incansáveis. Faziam de tudo para deixá-la fora de si. Ela costumava reagir, embora ficasse triste. Mas chegou a um ponto em que não conseguiu mais ignorar e fez o que fez”, contando a mãe da menina, que se matou com tiro de uma arma com origem desconhecida.




O caso aconteceu nos EUA, no estado de Ohia. A garota frequentava a sexta série e chocou a comunidade, além de alertar novamente para a importância de se discutir o bullying com as crianças, além da necessidade de que os pais se mantenham atentos aos comportamentos dos filhos, inclusive para mudanças de humor, que podem indicar algum problema.

Fonte: Revista Crescer